Notificações Amigos pendentes
      Guitarra e Violão Contrabaixo

      Introdução ao uso de pedais e efeitos

      Por: Ramon Chrystian | Categoria: Guitarra e Violão, Setup e Manutenção 36915 exibições Dificuldade Básico

      Olá, pessoal do Guitar Battle!

      Nesta lição, nós iremos fazer um estudo introdutório do assunto pedais e efeitos.

      O avanço tecnológico e as constantes pesquisas feitas pelas empresas do ramo, nos têm dado a possibilidade de encontrar no mercado uma infinidade de produtos. Neste contexto, não raramente, as pessoas têm encontrado dificuldades para escolher o primeiro equipamento e muitas das vezes não sabem como usar determinado tipo de efeito.

      A pergunta que grande parte dos iniciantes fazem quando querem estudar gutarra é: “o que preciso ter?”.

      Podemos obter no mercado muitos tipos de pedais e pedaleiras, mas o essencial para um bom som é ter um bom instrumento e um bom amplificador. O que vier além disso, é ‘lucro’. Ressalto também que instrumentos muito baratos podem ser, muitas vezes, uma falsa economia. Se a ação estiver alta (altura das cordas), o braço mal construído, as ferragens prejudicarem a afinação ou trastes desiguais, até mesmo um instrumentista experiente encontrará grandes problemas.

      Tentar aprender em um instrumento ruim, talvez seja o maior fator que vêm desencorajando a maioria dos principiantes. Portanto, procure adquirir o melhor instrumento que estiver ao seu alcance bem, como os efeitos para uso conjunto.

      Segue uma pequena descrição dos efeitos mais usados e algumas demonstrações que gravei para lhe ajudar a identificá-los:

      1.   Distorção – é a saturação do som. Ela possui um “boost” (ganho a mais) nos médios, excelente para solos. Lembra Satriani, Steve Vai, Van Halen, Juninho Afram etc. A maioria dos amplificadores para guitarra já vêm com esse recurso. Ouça o exemplo:

      2. Overdrive – é uma distorção light. O pop rock britânico usa muito esse recurso. No contexto evangélico, os guitarristas da Vineyard e Hillsong também costumam usar com freqüência. Ouça o exemplo:

      3. Delay – é o efeito de eco. O delay contém regulagens como o tempo de delay, quantidade e a intensidade do delay. Ouça:

      4. Reverb – o efeito de reverberação simula o som de diversos ambientes tais como salas de concerto, catedrais, salas de estúdio, etc. Usamos o reverb de forma discreta. No exemplo abaixo, nós temos dois tipos: um reverb de um ambiente amplo e um reverb de um ambiente menor. Ambos, no entanto, um pouco saturados, para você percebê-los bem.

      5. Equalizer – este tipo de equipamento permite o ajuste das freqüências. Graves, médios e agudos.

      6. Chorus – é o efeito que dá um “brilho”, que adiciona uma dimensão sonora. Ouça e entenda melhor:

      7. Compressor – comprime sinais altos e aumenta sinais baixos de entrada, na intenção de regular os momentos em que o guitarrista toca uma nota mais intensa que a outra, ou seja, altera níveis de ganho. A desvantagem é que isso gera um aumento de ruído, mas pode ser suprimido com o Noise Supressor. Esse efeito faz com que a nota possa durar bem mais do que o limite do instrumento.

      8. Flanger ­– é um efeito que “adiciona dimensão sonora”, ou seja, como se o som estivesse em um “tubo de vento”. Neste exemplo adicionei o flanger a uma distorção:

      9. Noise Supressor ­ – elimina ruídos e “hummys” do sinal de entrada, preservando o timbre original do som.

      10. Octaver – esse efeito dobra a nota executada, parecendo que existem duas guitarras tocando juntas. Neste exemplo, usei um octave dobrando uma nota mais grave, ou seja, parece que existe um contrabaixo dobrando as linhas comigo:

      11. Tremolo – dá um efeito de “tremor” no som. Muito usado, interessantíssimo efeito.

      12. Wha-Wha – muda a freqüência de graves e agudos de forma tão rápida, que parece que a guitarra “fala”. Geralmente é um pedal no formato de um “acelerador de carro”. No exemplo abaixo, usei um auto Wha da Line 6:

      Estes efeitos são encontrados em pedais individuais, simuladores de amplificadores ou pedaleiras. Nos pedais analógicos o timbre geralmente é melhor que nas pedaleiras e simuladores, mas o uso das pedaleiras se popularizou pela sua praticidade e custo x benefício. Há também certos amplificadores, que vêm com alguns efeitos além da sua própria distorção.

      Bom galera, é isso aí, espero ter ajudado aos amigos iniciantes no mundo da guitarra.

      Abraço,

      Ramon Chrystian

      Letra Sonora
      Facebook Fan Page
      Twitter

      NOTAS:

      1. A espessura da corda, bem como a afinação, influencia o timbre da guitarra;
      2. Efeitos de distorção mudam imensamente conforme o tipo específico de captador, como por exemplo, single coil ou humbucking;
      3. A chave seletora de captadores ajuda a variar o timbre do instrumento. O captador perto do braço produz um som mais “macio” e “cheio”, enquanto o captador da ponte produz um som mais “agudo”;
      4.  A qualidade do cabo afeta a qualidade do som;
      5. As características do som do amplificador dependem não apenas do sinal de saída, mas também do gabinete do alto-falante.
      Ramon Chrystian Rio de Janeiro / RJ | 5 músicas | 57 batalhas | 5 lições
      Graduado em Música, tem trabalhado há anos como musico profissional. Acompanhando diversos grup ...leia mais »
      Estudei essa lição 16 estudaram essa lição

      Comentários (25)

      Comentar
      Responder Cancelar

      Outras Lições

      Tenha aula com os melhores

      Buscar